Ventisca Produções

Versão Beta
Close

Heróis ou Vilões, confira 5 personagens marcantes de World of Warcraft

Conheça a história de personagens icônicos de WoW

O universo de World of Warcraft apresenta uma Azeroth recheada de personagens incríveis e uma série de raças, algumas nativas, outras provenientes de outros mundos, seja lutando pela implacável Aliança ou defendendo a gloriosa Horda.

Desde o lançamento do clássico Warcraft: Orcs & Humans, em 1994, o enredo épico do universo Warcraft vem se desenvolvendo e crescendo a cada lançamento da série, apresentando heróis poderosos, inimigos mortais e aventuras sem fim.

Além dos jogos, essa história também é contada principalmente por meio de livros, contos, cinemáticas e histórias em quadrinhos (muito deles disponíveis em português, para compra ou gratuitamente no site oficial, só para lembrar), que ajudam a se aprofundar em diversos pontos de personagens e eventos da lore do jogo.

Para ajudar quem está começando no game ou quem não acompanha muito a sua história, abaixo trazemos uma lista com cinco personagens marcantes da série, com um pequeno resumo de sua biografia. Lembrando que essa é apenas a primeira parte e que pretendemos trazer mais artigos com outros personagens!

Jaina Proudmoore

Vamos começar a nossa lista com o nome de Jaina Proudmoore, a poderosa arquimaga de Kirin Tor e com certeza uma das personagens mais icônicas do universo Warcraft.

Sua primeira aparição na série foi em Warcraft III: O Reinado do Caos (2002), onde aparece como aliada de um jovem príncipe Arthas Menethil na missão de deter uma misteriosa praga de mortos-vivos.

No entanto, desde tenra idade Jaina exibia um talento nato com o uso de magia como aprendiz em Kirin Tor de Dalaran, a facção neutra composta pelos mais poderosos magos de Azeroth.

Com a propagação da praga e do caos, Jaina reuniu o máximo de sobreviventes e os conduziu para oeste, eventualmente chegando em Kalimdor e fundando a cidade portuária de Theramore.

Em Kalimdor, ela ganhou a confiança de Thrall, o chefe guerreiro da Horda, e se tornou uma peça-chave na união das raças da Horda e Aliança contra os furiosos demônios da Legião Ardente.

Algum tempo depois Jaina parte em uma excursão para encontrar o Lich Rei e tentar salvar a alma do seu amado Arthas. Ela quase morreu, mas reforços a salvaram e a levaram para longe, enquanto que o poderoso paladino Tirion Fordring derrotava o Lich Rei com a ajuda da espada Crematória (Ashbringer).

Infelizmente, seu desejo de paz e união entre humanos e orcs termina quando Garrosh Grito Infernal, novo general da Horda, destrói a cidade de Theramore - no entanto, a tensão entre os dois grupos já era existente, o que custou inclusive a vida de Dealin Proudmoore, pai de Jaina.

A jovem então decide assumir o posto de arquimaga e líder de Kirin Tor, tendo que lidar com uma Horda cada vez mais problemática - o que a leva a abandonar Kirin Tor e o Conselho dos Seis, sendo substituída pelo mago lendário Hadggar.

Arthas Menethil

E já que falamos dele na história anterior, nada mais justo conhecer melhor Arthas Menethil, um promissor príncipe/herói renomado de Lordaeron e amigo de infância e interesse romântico de Jaina Proudmoore.

Um dos paladinos da Ordem da Mão de Prata, Arthas e Jaina seguiram caminhos diferentes, mas acabaram se reencontrando quando uma misteriosa praga de mortos-vivos começou a se espalhar por seu reino.

Durante suas viagens, o casal encontrou um profeta chamado Medivh, que lhes deu um aviso para seguir para Kalimdor. Jaina decidiu seguir os conselhos do profeta, no entanto Arthas o ignorou, afirmando que não abandonaria o seu povo - decisão essa que selou o seu trágico destino para sempre.

Arthas segue para a cidade de Stratholme para destruir Mal'Ganis, mestre do culto dos mortos-vivos. Ao chegar lá, descobre que toda a cidade está contaminada e então decide que ela deve ser totalmente destruída para evitar a propagação da praga. Mal'Ganis foge para as terras geladas de Nortúndria, e Arthas decide persegui-lo.

Na região Arthas reencontra um velho conhecido, Muradin Barbabronze, seu treinador de combate quando jovem e irmão do Rei dos Anões. Os dois formam uma aliança para destruir Mal'Ganis e encontrar a Gélido Lamento (Frostmourne), uma espada de grande poder que acreditam ser a salvação para seu povo.

Arthas consegue encontrar e empunhar a espada, ao custo da vida de seus companheiros, incluindo Muradin (na verdade ele sobreviveu, sofrendo de amnésia), e consegue derrotar Mal'Ganis com ela.

No entanto, isso tem um custo: por semanas o jovem escuta os sussuros da Gélido Lamento e tem a sua alma totalmente corrompida e sua sanidade destruída.

Arthas então assume a identidade de Cavaleiro da Morte a serviço do Lich Rei Ner’zhul e retorna para o seu reino, assassinando o seu próprio pai, Rei Terenas II, em seu castelo.

O jovem paladino vira o comandante do Flagelo e prepara suas tropas para a invasão da Legião Ardente em Azeroth - uma jornada que o levou a se tornar o próprio Lich Rei, mas essa é outra história.

Thrall

Thrall, o "Jesus Verde" como é conhecido pela comunidade, é um dos grandes personagens do universo de World of Warcraft que se tornou popular como o ex-Chefe Guerreiro da Horda.

Seu nome de nascimento é Go'el, filho de Durotan, líder do clã Lobo do Gelo e de Draka, mas se tornou órfão ainda bebê quando os seus pais cairam em uma emboscada planejada por Gul'dan - eles não concordavam de como o orc bruxo influenciava a Primeira Horda.

O pequeno Go'el foi encontrado pelo cruel humano Aedelas Pantanegro e levado como escravo, recebendo o nome de Thrall - que significa "escravo" em uma antiga língua bárbara.

Criado por humanos, o orc foi forçado a treinar para ser um gladiador e assim entreteter, e enriquecer os humanos. Thrall consegue fugir da sua prisão com a ajuda de Taretha Foxton, sua amiga de infância e um dos raros humanos que ensinou a Thrall o significado de honra e decência, e partiu em busca de seu povo, o que o levou ao encontro de Grom Grito Infernal, chefe do clã Warsong.

Os dois se tornaram grandes amigos e Thrall teve conhecimento de sua origem e da cultura órquica. Ele encontrou remanescentes do clã do Lobo do Gelo, época em que se tornou xamã.

Thrall foi recrutado por Orgrim Martelo da Perdição, melhor amigo de seu pai e o então Chefe Guerreiro, que planejava reformular a Horda com a sua ajuda. Infelizmente Orgrim perdeu a vida enquanto libertava orcs de campos de concentração humanos, e em seus últimos suspiros entregou a Thrall seu poderoso martelo e sua armadura preta e o nomeou Chefe Guerreiro da nova Horda.

Como novo líder da Horda e com a ajuda de Grom, Thrall partiu em uma missão para salvar e unificar os orcs, jornada que os levou para Kalimdor, lugar onde conheceu Jaina Proudmoore, com quem formou uma aliança para enfrentar os demônios da Legião Ardente.

Thrall e Grom enfrentaram juntos o poderoso demônio de elite Mannoroth, que havia corrompido vários orcs com o seu sangue, incluindo o próprio Grom, que conseguiu derrotar o demônio e assim acabar com a maldição de sangue.

Thrall fundou a cidade de Orgrimmar (em honra a Orgrim Martelo da Perdição), que se tornaria a capital da Horda e passou por várias adversidades nos anos posteriores, incluindo as invasões dos mortos-vivos do Flagelo.

Eventualmente, o orc partiu em uma nova aventura para Terralém para aprender mais sobre os Elementos e encontrar ancestrais, nomeando Garrosh Grito Infernal, filho de Grom, como líder da Horda - o que levou a legião para uma nova direção para dominar tudo e todos.

Após diversas aventuras, Thrall e Garrosh se enfrentaram em uma grande e última batalha, com a vitória do primeiro. Thrall nomeia o troll Vol’jin, aliado da Horda e que não concordava com a liderança de Garrosh, como o novo Chefe Guerreiro - porém ele acaba morto durante uma nova invasão da Legião Ardente, passando a liderança da Horda para Sylvanna Correventos.

Thrall pegou a sua família e decidiu se isolar do mundo em Nagrand, até que após muitos anos depois é procurado por Varok Saurfang que pede a sua ajuda para retomar a Horda, que não concorda com a liderança de Sylvanna.

Illidan Tempesfúria

Illidan, também conhecido pela alcunha de O Traidor, é um dos personagens mais icônicos do universo de World of Warcraft e que apareceu pela primeira vez em Warcraft III.

Extremamente habilidoso com a magia arcana, ele nasceu como um elfo nortuno há mais de 10 mil anos e é irmão gêmeo de Malfurion Tempesfúria - e ambos são apaixonados por Tyrande Murmuréolo, Alta Sacerdotisa de Elune e aliada dos deuses da natureza - saiba mais detalhes de sua história neste artigo.

Sua primeira decepção na vida veio quando Tyrande decidiu ficar com o seu irmão, que também era um guerreiro habilidoso e respeitado por todos.

Durante a Guerra dos Antigos, Illidan começou sua longa batalha contra a Legião Ardente. No entanto, sua busca obssessiva por poder o fez abandonar os seus companheiros e fazer um pacto com a Legião, o que levou o seu povo a vê-lo como traidor.

Na verdade, tudo não passou de um plano de Illidan, que decidiu se infiltrar e fingir que serviria a Legião, para assim ganhar poderes e descobrir as fraquezas dos demônios.

Ele conseguiu seus novos poderes com Sargeras, o titã decaído e líder da Legião Ardente, e junto com o seu irmão conseguiu acabar com a guerra com os demônios - mas com o custo da destruiçao da Nascente da Eternidade, fonte da magia e imortalidade dos elfos.

Depois de derrotada a Legião, os elfos noturnos decidiram trancar Illidan em uma prisão tumular para impedi-lo de ameaçar o mundo já despedaçado pela guerra.

Dez mil anos depois, a ameaça da Legião Ardente retornou a Azeroth, o que fez com que Tyrande, agora líder dos elfos noturnos, libertasse Illidan de sua prisão para que pudesse ajudar.

Ele concordou em ajudar, mas somente porque ainda era apaixonado por Tyrande. Para provar que era o mais poderoso para derrotar a Legião (e para impressionar Tyrande), ele partiu junto com uma legião de elfos em uma nova jornada em busca de poder, tornando-se o primeiro Caçador de Demônios da história.

Foi quando ele encontrou Arthas, o campeão do Lich Rei (Ner’zhul), e travaram um combate com proporções de igualdade. Sob a influência do Lich Rei, Arthas fala sobre o Crânio de Gul'dan, um artefato demoníaco de grande poder.

Ner’zhul, que tinha seus próprios planos de vingança contra Kil’jaeden e sabia da sede de Illidan por poder, queria-usá-lo para derrotar Taecondrius, representante da Legião em Azeroth e que estava comandando os ataques do Flagelo, o que seria conveniente para o Lich Rei.

Illidan encontrou o artefato e de fato tornou-se mais poderoso e conseguiu derrotar Taecondrius, mas pagou um preço alto: ele se transformou em um demônio, o que causou a desaprovação e a repulsa de Malfurion e Tyrande, que o baniram das florestas dos elfos noturnos.

Kil’jaeden procurou por Illidan e ofereceu uma última chance de servir a Legião Ardente, com a missão de destruir o Trono de Gelo onde se encontrava a alma de Ner’zhul, que havia se tornado um problema. Illidan aceitou a proposta, mas não conseguiu concluir a tarefa e então ele foge para Terralém, os restos arruinados de Draenor.

Porém não demorou muito para que Kil’jaeden descobrisse onde Illidan estava, forçando-o a voltar para Azeroth para concluir sua missão de destruir o Trono de Gelo. Mas Ner’zhul, sentindo a ameaça iminente, convocou Arthas para proteger o trono, o que levou a um novo encontro entre os dois guerreiros.

Mesmo enfraquecido, Arthas consegue superar as defesas de Illidan e o derrota após uma dura batalha - Arthas segue em frente e encontra o seu destino tornando-se o novo Lich Rei.

Gravemente ferido, Illidan retorna para Terralém, onde se prepara para enfrentar a ira de Kil’jaeden e a Legião, por ter fracassado mais uma vez. Porém, Illidan encontra a morte pelas mãos da elfa noturna Maiev Cantonegro, sua carcereira e implacável caçadora há mais de 10 mil anos. Mas aparentemente, ele não estava tão morto assim, e como era de se imaginar, a história de Illidan não termina aqui.

Sylvana Correventos

Sylvana Correventos é uma das três irmãs elfas Correventos, sendo as outras duas Alleria e Vereesa. Sua família vivia no Pico dos Correventos nas traquilas florestas de Quel'Thalas, lugar onde Sylvana se tornou a general-patrulheira de Luaprata, encarregada de defender o reino dos elfos.

O destino de Sylvana mudou para sempre quando o paladino Arthas Menethil, sob a influência de Lich Rei, chega inesperadamente à porta de Quel'Thalas com uma horda de morto-vivos.

Arthas encontrou grande resistência dos elfos, que lutaram bravamente liderados por Sylvana, mas eventualmente nem mesmo ela conseguiu impedir a invasão e foi morta por Arthas, que arrancou a alma da general-patrulheira e a transformou em uma banshee, um fantasma vingativo forçado a servir o Lich Rei.

Sylvana se torna um dos principais generais de Arthas, mas depois de um ano o enfraquecido Ner'zhul - e por extensão Arthas - começou a perder o controle das mentes de Sylvana e de vários banshees, até que ela conseguiu recuperar a sua liberdade.

Ela conseguiu um corpo físico e foi acompanhada por muitos mortos-vivos que se libertaram do controle do Lich Rei. Sylvana batizou esse grupo de Renegados e se proclamou rainha banshee.

Para garantir um futuro para seus seguidores, Sylvana se juntou à Horda. Ela e seus Renegados acabaram por marchar ao lado dos novos aliados na invasão de Nortúndria e ajudaram a derrotar o Lich Rei, saciando sua sede de vingança.

Sylvana continuou a proteger os Renegados de todo e qualquer perigo, em Azeroth e pelo universo afora. Após herdar o manto de chefe guerreira de Vol’jin, que estava à beira da morte, ela conseguiu reunir a Horda a fim de derrotar a Legião nas Ilhas Partidas e em Argus.

A descoberta de um minério misterioso chamado azerita em Silithus levou Sylvana a trilhar mais uma vez a estrada da guerra. Determinada a impedir que a Aliança tomasse controle dessa substância poderosa, a chefe guerreira atacou primeiro, liderando a investida da Horda contra Darnassus e desferindo um golpe brutal nos rivais para não deixar dúvidas quanto ao que estava em jogo.

Sylvana, a agora ex-chefe guerreira da Horda (atualmente liderada por um conselho), abriu o portal para as Shadowlands (Terras Sombrias) após quebrar o elmo de Bolvar Fordragon, o Lich Rei que assumiu após a queda de Arthas, iniciando assim a nova expansão World of Warcraft: Shadowlands, que será lançada ainda neste ano.


Siga a gente nas redes sociais:
✅ Instagram: www.instagram.com/apaladinawow
✅ Facebook: www.facebook.com/apaladinawow
✅ Twitter: twitter.com/apaladinawow
✅ Youtube: www.youtube.com/APáLadinawow
✅ Twitch: www.twitch.tv/apaladinawow

Jornalista de games, cultura pop e nerdices em geral. Email: marcio.pacheco@cardnamanga.com.br . Twitter: @MarcioAPacheco