Ventisca Produções

Versão Beta
Close

Causos do Pirata: Sanduíche-iche e Beijo do Gordo

Revisitando as misteriosas Clareiras de Tirisfal e Floresta Pinhaprata em World of Warcraft.

Olá, aqui é o Silverblade, ex-pirata, aventureiro, explorador, aprendiz de guia turístico e mestre dos disfarces. E para onde vamos hoje? Uma praia ensolarada? Altas montanhas? Não, vamos revisitar as misteriosas Clareiras de Tirisfal e Floresta Pinhaprata. Uma espécie de turismo sombrio.

Depois de aprender algumas táticas de hotelaria e turismo com o gnomo Gisberto Chispabroca em Tiragarde, vou tentar desenvolver minha própria empresa: a Causos do Pirata, englobando ramo hoteleiro e tavernas ou talvez eu deixe um goblim roubar minhas ideias para continuar minha vida de Campeão de Azeroth.

Como membro da Aliança, quando vou para a região das ruínas de Lordaeron, dominada pelos mortos-vivos depois do Flagelo, me disfarço no pescador morto-vivo Jano Proudmais. Por isso, sempre vou ao Lago das Águas Claras, onde pesco algas e tecidos velhos e rasgados enquanto mato um ou dois morcegos com golpes rápidos com adagas. Também aproveito para treinar meus novos mascotes colocando eles em combates contra ratos e fantasminhas, os Perdidos de Lordaeron.

Foi por aquelas áreas que conheci Lilian Voss, ainda se apercebendo como morta-viva, tive até que ajudar mostrando seu reflexo usando um espelho. E mais perigoso que os grandes morcegos são os integrantes da Cruzada Escarlate, é um pessoal muito estranho. Sobre os renegados mortos-vivos, posso dizer o seguinte: muitos deles falam alto demais. Confesso que em algo eu tenho inveja dos renegados, eles podem explorar a região subaquática de Vashj’ir sem precisar voltar para a superfície para respirar (tá aí uma ideia, turismo radical em Vashj’ir).

Então vamos lá, roubei um cavalo morto-vivo e fui atrás de um antigo conhecido, o cozinheiro Derak (não confundir com Derek Proudmoore), que eu acho que é um pouco gago, pois dizia sanduíche-iche, mas não me lembrava onde costumava ficar. Decidi então visitar um velho e famoso conhecido, o Gnomo Leproso (também chamado de Crispim), mantendo a devida distância social, é claro. Sugeri a ele ir para o Resort das Fontes Gasosas em Tiragarde para se curar e ele agradeceu o conselho. Ele também disse que há muito tempo não via o Derak, pois acreditava que contraiu a peste comendo seus sanduíches.

Silverblade Causos do Pirata 10-08 - 01

O famoso Gnomo Leproso

Fui até o Gordo, nos arredores da Cidade Baixa. Gordo é um brutamonte feito de retalhos de corpos (é, se você não achou nojento, no mínimo deve ter achado intrigante). Não questiono muito para não estragar meu disfarce, mas acredito que ele tenha sido criado pelos acólitos do Lich Rei na malfadada Naxxramas e não pelos renegados. Ele continua com dificuldade para a colheita de plantas, pois suas mãos são demasiadamente grandes. Depois que eu o ajudei, ele agradeceu dizendo seu famoso bordão: Beijo do Gordo.

Silverblade Causos do Pirata 10-08 - 02

"Beijo do Gordo"

No sul da Floresta de Pinhaprata, próximo da batalha entre guilneanos e renegados, descobri que o Derak estava no Contraforte de Eira dos Montes. Assim vou ser preso pela Aliança e até me desfazer do disfarce já vou ter apanhado bastante, pensei. Ainda assim fui atrás do Derak. Quando eu o encontrei ele já foi me oferecendo um sanduíche e eu, educadamente, recusei. Então é isso pessoal, quando comer o sanduíche-iche do Derak, não se esqueça de se recuperar nas fontes termais do Gisberto.

Daniel Vilela, jogador de World of Warcraft e Hearthstone. Historiador e apaixonado por literatura. Autor de livros de ficção e de não ficção.